Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr
topo livro_politicas_incent_inov_tecn_brasil

TD 1867 - Consenso Difuso, Dissenso Confuso: Paradoxos das Políticas de Inovação no Brasil

Luiz Ricardo Cavalcante / Brasília, agosto de 2013 

Neste trabalho, argumenta-se que o amplo reconhecimento da associação entre inovação e desenvolvimento econômico e social e da relevância das políticas públicas de inovação formou uma espécie de “consenso difuso” dificilmente contestado no Brasil. Contudo, as políticas de inovação adotadas no país carecem de uma estrutura institucional adequada a sua implementação, caracterizando o que se denominou neste estudo de “dissenso confuso”. Argumenta-se que as dificuldades apresentadas para que as políticas de ciência, tecnologia e inovação (CT&I) contribuam de forma mais efetiva para que o Brasil amplie, de forma significativa, os esforços tecnológicos de seu setor produtivo estão menos na natureza intrínseca dos instrumentos de apoio à inovação e mais em seu descolamento da estrutura institucional que os operacionaliza. Demonstra-se que esta estrutura institucional: i) é pouco aderente à percepção da natureza sistêmica do processo de inovação; ii) não cria incentivos suficientes para a alocação, pelos gestores e instituições públicas, de recursos no setor produtivo; iii) incentiva a pulverização de recursos, com a consequente perda de foco e escala que pode, em vários casos, reduzir a eficácia das políticas adotadas; e iv) incentiva a reprodução de modelos e prioridades formatados em contextos distintos do brasileiro.

Palavras-chave: ciência, tecnologia e inovação (CT&I); políticas de inovação; modelo linear de inovação; modelo sistêmico de inovação; instituições.

 

In this paper it is shown that the wide acknowledgement of the association between innovation and economic and social development as well as of the relevance of innovation policies formed a kind of “misty consensus” hardly contested in Brazil. However, the innovation policies adopted in the country lack an institutional framework to support their implementation marking what is called in this paper a “messy dissensus”.It is argued that the obstacles to the science, technology and innovation (ST&I) policies to contribute more effectively to Brazil increase its technological efforts have less to. do with the innovation policies themselves and more to do with their detachment from the institutional framework used to implement them. It is shown that this institutional framework i) is barely adherent to the perception of a systemic nature of the innovation process; ii) does not create incentives to the bureaucrats and public institutions to allocate resources in the industrial sector; iii) encourages the pulverization of resources and the consequent loss of focus which may reduce the efficiency of the adopted policies;and iv) encourages the adoption of models and priorities established to contexts which are different from the Brazilian reality.

Keywords: science, technology and innovation (ST&I); innovation policies; linear model of innovation; systemic model of innovation; institutions.

 

acesseacesse o sumário executivoacesseAcesse o documento (320KB)



 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea