Twitter
Youtube
facebook
LinkedIn
Google +

 

td-banner

TD 2429 - Estados e mercados na crise financeira

Maryse Farhi, Brasília, novembro de 2018   

 

A recente crise financeira trouxe à tona questões que, anteriormente, não eram percebidas como sérias ou importantes. Ela sublinhou as estreitas relações entre a moeda fiduciária e os títulos de dívida pública nela denominados que implicam num estreita relação entre o Tesouro e o Banco Central. Duas mal concebidas abordagens do “novo consenso macroeconômico” sobre a moeda foram postas em evidência. A primeira, derivada da teoria quantitativa de moeda, diz respeito à rejeição à expansão monetária não esterilizada;a segunda, diretamente relacionada à ideologia neoliberal, proíbe ou impõe estritos limites ao papel dos bancos centrais no financiamento das dívidas públicas.

Palavras-chaves: crise financeira; política monetária; afrouxamento quantitativo; monetização da dívida; mercados financeiros.

The recent financial crisis shed a new light on issues that, previously, were not perceived as serious or important. It highlighted the close ties between fiat money and government bonds denominated in it that imply a strong relationship between Treasury and Central Bank. Two ill-conceived views of the “new consensus” on money that had turned into taboos were also put in evidence. The first, derived from the quantitative theory of money, concerns the rejection of unsterilized monetary expansion; the second, directly related to the neoliberal ideology, prohibits or imposes strict limits on the role of central banks in the financing of public debts.

Keywords: financial crisis; monetary policy; quantitative easing; debt monetization; financial markets.

 

acesse  Acesse o sumário executivo  acesseAcesse o documento (2 MB)

 

 

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea