Twitter
Youtube
facebook
LinkedIn
Slideshare

 

noticias
11/06/2019 11:26

No Brasil, a internet reproduz a desigualdade

Segundo o Ipea, 90% das pessoas nas classes A e B são usuárias de internet; nas classes D e E apenas 42% estão conectados

A internet é democrática, mas nem tanto. É o que aponta o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), que analisou o acesso dos brasileiros à ferramenta e diagnosticou que o uso reproduz desigualdades. Apesar de 67% da população está conectada - cerca de 120 milhões de pessoas - o acesso é maior entre as classes sociais mais elevadas. Enquanto mais de 90% das pessoas nas classes A e B são usuárias de internet, nas classes D e E, apenas 42% tem acesso à ferramenta. O estudo também apontou que o acesso é maior nas zonas urbanas (70%) do que nas áreas rurais (44%). 'O que observamos é que os usuários mais frequentes e mais intensivos são aqueles que têm maior renda, escolaridade, entre outras características socioeconômicas. Então, existe uma estrutura de reprodução de desigualdades no mundo virtual', afirma Frederico Barbosa, técnico de planejamento e pesquisa do Ipea.

Saiba mais >>

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea