Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr
27/11/2019 17:44

Seminário no Ipea debate as tendências globais em finanças verdes


Evento destacou a necessidade de o país avançar na economia de baixo carbono. O Brasil investe 2,1% do PIB em infraestrutura sustentável

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) recebeu nesta quarta-feira (27), em Brasília, especialistas para debater as tendências globais na agenda de finanças verdes. O 1º Diálogo Brasileiro sobre Finanças Verdes e Infraestrutura Sustentável destacou aimportância dos chamados títulos verdes – investimentos de grande escala para a promoção da economia de baixo carbono. Os participantes explicaram como esses ativos podem criar oportunidades inovadoras de projetos em infraestrutura sustentável e alavancar a economia.

O evento foi realizado pela Climate Bonds Initiative (CBI), em parceria com a associação brasiliense do Chevening Alumni Brazil – programa do governo britânico de incentivo a profissionais com perfil de liderança. Entre os temas discutidos, os palestrantes destacaram a necessidade de o Brasil atingir as metas de redução de emissões de carbono estabelecidas no Acordo de Paris. O último relatório elaborado pela Climate Bonds aponta que o país investe percentuais reduzidos em infraestrutura sustentável, apenas 2,1% do produto interno bruto (PIB).

Na avaliação do pesquisador do Ipea Gustavo Luedemann, a crise climática global tornou urgentes medidas de adaptação e resiliência. Segundo ele, esse processo também impacta diretamente as cadeias produtivas e o sistema financeiro. “Os títulos verdes e a economia de baixo carbono têm função estratégica nas iniciativas de mitigação. Esse novo modelo é uma realidade e representa oportunidades sólidas de contribuir para as reduções nas emissões de CO2 e controlar o aquecimento global.”

O evento contou com a presença de Iain Frew, conselheiro para Desenvolvimento Econômico da Embaixada do Reino Unido, que anunciou a previsão de um investimento de 80 milhões de libras (cerca de R$ 440 milhões) em projetos de incentivo à energia de baixo carbono no Brasil nos próximos quatro anos. Por sua vez, o subsecretário de Planejamento da Infraestrutura Subnacional do Ministério da Economia, Fábio Ono, anunciou as linhas de crédito previstas pelo governo brasileiro em infraestrutura sustentável. “A meta projetada para os próximos 20 anos é que o país atinja o patamar de R$ 735 bilhões anuais em projetos de infraestrutura sustentável”, destacou.

A representante da CBI, Julia Ambrosano, apresentou durante o evento o último relatório da instituição sobre Oportunidades de Investimento em Infraestrutura Verde. De acordo com o documento, a América Latina contribui atualmente com 2% dos títulos verdes na escala mundial, sendo a maior parte desse montante (45%) de iniciativas brasileiras. “As oportunidades no Brasil são crescentes para criar novas formas de investimentos em finanças verdes e infraestrutura sustentável”, ressaltou Ambrosano.

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea