Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr
topo td_antigos

TD 0637 - A Rentabilidade do FGTS

Francisco E. B. Oliveira, Kaizô I. Beltrão, Maria Tereza de M. Pasinato e Mônica Guerra Ferreira / Rio de Janeiro, abril de 1999

Desconsiderando as implicações sociais positivas para dirimir o déficit habitacional do país e estimular a demanda por mão-de-obra na construção civil,este estudo se propõe a avaliar um aspecto localizado da performance do governo enquanto gestor de um fundo de capitalização destinado a políticas compensatórias de bem-estar social, comparando a rentabilidade auferida pelos depósitos do FGTS com a inflação correspondente do período medida pelo IGP-DI e com o ativo financeiro não-monetário mais popular a Caderneta de Poupança. A conclusão é que, com exceção do período pós-Real, o FGTS apresentou taxas de retorno negativas, acarretando substanciais perdas de capital aos trabalhadores detentores de contas.

 

acesseAcesse o documento (221.89 Kb)           

 

Surplus Labor and Industrialization

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea