Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr
topo td_antigos

TD 0653 - Padrão de Financiamento das Empresas Privadas no Brasil

Waldery Rodrigues Júnior e Giovani Monteiro Melo / Brasília, junho de 1999

Este texto aborda a questão das fontes de financiamento utilizadas pelas empresas para financiar o seu crescimento. O capítulo 2 traz uma revisão teórica sobre o tema. Em seguida, são relatados os resultados de nove trabalhos empíricos, dos quais quatro são estudos dirigidos especificamente para o caso brasileiro. O capítulo 4 descreve a metodologia adotada e formaliza duas teorias testadas, quais sejam: i) a hipótese de que as empresas seguem uma hierarquização nas suas fontes de financiamento; e ii) a hipótese de existência de um nível ótimo de endividamento. O capítulo 5 aponta que, de forma geral, resultados de regressão não fornecem clara evidência sobre qual das duas teorias é a mais adequada para explicar as mudanças da estrutura de capital das empresas brasileiras analisadas. As versões com custos de ajustamento de ambas as teorias apresentam melhores desempenhos estatísticos (teste t e R 2 ) do que versões simples dos modelos. O resultado do trabalho indica evidência favorável à hipótese da pecking order, com o padrão de financiamento aproximando-se mais do encontrado em países desenvolvidos, como em Mayer (1990), do que do perfil até então considerado como típico das economias em desenvolvimento. Ao final, apresentam-se dois anexos: o primeiro mostra como foram construídos os indicadores utilizados nas regressões, e o segundo contém dados sobre as fontes de financiamento utilizadas no universo de empresas (24) no período estudado (1987/1996).

 

acesseAcesse o documento (221.89 Kb)          

 

Surplus Labor and Industrialization

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea