Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr
topo td_antigos

TD 0788 - Arranjos Domiciliares e Arranjos Nucleares no Brasil: Classificação e Evolução de 1977 a 1998

Marcelo Medeiros Coelho de Souza e Rafael Osório / Brasília, abril de 2001

O estudo analisa a evolução de características referentes à composição dos arranjos domiciliares e arranjos nucleares no Brasil no período compreendido entre 1977 e 1998 a partir de dados das Pesquisas Nacionais por Amostra de Domicílios (PNAD). Os conceitos utilizados nas PNAD são discutidos e os arranjos domiciliares são classificados de acordo com as características de parentesco de seus membros. Conclui-se que há no Brasil clara tendência à limitação do espaço domiciliar a um espaço de coabitação de membros de uma única família, a qual, no entanto, não deve ser confundida com uniformização generalizada dos arranjos domiciliares ou mesmo sua nuclearização, pois a composição dos arranjos domiciliares no Brasil vem lentamente se afastando do padrão conhecido como "família nuclear" em direção aos chamados "arranjos familiares estendidos".

 

acesseAcesse o documento (199.16 Kb)             


Surplus Labor and Industrialization

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea