Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr
topo td_antigos

TD 0974 - Elasticidades de Armington para o Brasil - 1986-2002: Novas Estimativas

Octávio Augusto Fontes Tourinho, Honório Kume e Ana Cristina de Souza Pedroso / Rio de Janeiro, agosto de 2003

A abordagem proposta por Armington (1969) tem sido amplamente utilizada para avaliar os impactos de alterações na política comercial, tanto nas aplicações de equilíbrio parcial como nas de equilíbrio geral. Entretanto, as elasticidades de Armington, parâmetros que refletem o grau de substituição entre bens domésticos e importados, são raramente estimadas. Em virtude da inexistência de tais estimativas para o Brasil, o objetivo deste artigo é estimar as elasticidades de Armington para os 28 setores industriais da matriz de insumo-produto brasileira, referente ao período 1986-2000. Inicialmente,são discutidos a construção da base de dados e o tratamento dado às séries de preços para levar em conta os efeitos da abertura iniciada em 1990. De acordo com as propriedades dinâmicas das séries, quatro modelos econométricos diferentes serão estimados. São então obtidas elasticidades estatisticamente significativas ao nível de 10% para 25 setores. As estimativas pontuais variam entre 0,16 e 4,95, refletindo os diferentes graus de substituição entre o bem importado e o produto produzido domesticamente na indústria brasileira.Este trabalho é uma versão revista de Tourinho, Kume e Pedroso (2002). As novas estimativas utilizam a nova base de dados com as revisões feitas pela Secex/MDIC,incluem as informações de 2002 e adicionam a volatilidade de taxa de câmbio como variável explicativa.

 

acesseAcesse o documento (264.57 Kb)           

 

Surplus Labor and Industrialization

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea