Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr
topo td_antigos

TD 0975 - Retrato da Pessoa com Deficiência no Brasil Segundo o Censo de 1991

Ana Maria de Resende Chagas e Renato Baumgratz Viotti / Brasília, agosto de 2003

Este artigo visa a divulgar dados do Censo de 1991 relativos à pessoa com deficiência que possam ser comparados aos que serão brevemente disponibilizados pelo IBGE,correspondentes ao Censo 2000. Apesar de o Censo 1991 ter subenumerado a população com deficiência (1,14%), os números relativos permitem uma boa caracterização deste grupo populacional, como demonstram alguns dos resultados encontrados:as deficiências mentais no Brasil são em menor proporção que o percentual preconizado pela ONU; a maior parte das pessoas deficientes está na região Sudeste, como conseqüência da concentração populacional; os homens são mais acometidos que as mulheres em todos os tipos de deficiências; o grupo etário de 60 anos ou mais é o que apresenta a maior incidência de deficiências, predominando as sensoriais e as motoras;mais que a quarta parte das pessoas com deficiência é casada e tem, portanto,responsabilidades familiares; a maioria é não alfabetizada; ao contrário do que ocorre com o restante da população, entre as pessoas com deficiências, as mulheres freqüentam menos a escola que os homens; poucos trabalham habitualmente durante o ano;seus rendimentos concentram-se entre 1/4 e 1 salário-mínimo; um quinto deles pertence a famílias com até 1/4 de salário-mínimo per capita, e quase a metade está em famílias com até meio salário-mínimo per capita.

 

acesseAcesse o documento (229.19 Kb)           

 

Surplus Labor and Industrialization

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea