Facebook Twitter LinkedIn Youtube Flickr
topo td_antigos

TD 1336 - Mudanças no Mercado de Trabalho Retiram Famílias da Pobreza? Determinantes Domiciliares e Agregados Para a Saída da Pobreza nas Regiões Metropolitanas do Brasil

Ana Flávia Machado e Rafael Perez Ribas / Brasília, maio de 2008

O objetivo do artigo é estimar a probabilidade de famílias saírem da pobreza, assim como os seus determinantes, considerando o tempo de permanência nesta situação. Interesse particular reside em avaliar se mudanças de curto prazo no mercado de trabalho afetam a probabilidade de famílias permanecerem na pobreza. Assumindo que as transições de pobreza ocorrem com mais freqüência em intervalos de tempo menores, dados organizados em periodicidade mensal são melhores que aqueles organizados por intervalos anuais, e por isso utilizamos o painel da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), de março de 2002 a maio de 2007. A PME é o único painel disponível no Brasil que permite análise sobre duração. Entretanto, em se tratando de pobreza, informações sobre renda não-trabalho são imprescindíveis e, dado que a PME não dispõe destes dados, imputamos a renda não-trabalho para sanar a questão. Tendo em vista que este estudo possui um período curto de acompanhamento dos domicílios, adotamos técnicas de estimação que controlam tanto a censura à direita como à esquerda. Entre os resultados, podemos destacar: quanto mais tempo a família fica na pobreza, maiores são suas chances de permanecer nela; entre as características domiciliares, a presença de idoso é a de maior impacto sobre a probabilidade de saída; os domicílios na situação de pobreza mais extrema não correspondem àqueles com maiores chances de permanência. No mercado de trabalho, mudanças na taxa de desemprego não afetam diretamente a permanência de famílias na pobreza. O efeito do desemprego ocorre, na realidade, indiretamente, por meio da sazonalidade da atividade econômica e da variação na massa salarial.

The objective of this paper is to estimate the length of poverty spells and its determinants. We analyze if short-term changes in the labor market affect the probability of staying in poverty. On the assumption that poverty transitions occur more frequently when we use a monthly data rather than an annual data, we are using the panel data of Brazilian Monthly Employment Survey (PME) from March of 2002 to May of 2007. PME is the only panel data which is available in Brazil to carry out this kind of analysis. However, considering that this survey follows households for a very short period, we had to adopt estimation techniques which control cases of right- and left-censoring. The most important results are: how longer the poverty spells, lower the probability to escape from it; households with elderlies have more chances to exit poverty than the others. In the labor market, changes in unemployment rate do not affect directly poverty duration. The effect of unemployment rate occurs indirectly by means of the seasonality of economic activity and of changes in the average wage.

 

acesseAcesse o documento (259.90 Kb)     

     

Surplus Labor and Industrialization

 
 

Todo o conteúdo deste site está publicado sob a Licença Creative Commons Atribuição 2.5 Brasil.
Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada
Expediente Portal Ipea